O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde

Impressões de leitura do Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde

O que é mais valioso? A beleza ou as as virtudes?

Dorian Gray era um jovem muito belo, admirado por todos. Ao admirar a sua imagem no retrato pintado por Basil Hallward, lamenta profundamente que seja esse retrato a conservar a sua própria beleza com o passar do tempo. Ele declara que daria a sua própria alma em troca da sua eterna juventude. 

Surpreendentemente, a imagem do seu retrato vai alterar-se à medida que Dorian Gray corrompe a sua alma… e os anos passam.

Dorian Gray é para mim dos personagens mais emblemáticos que já conheci nos livros, mas também dos mais detestáveis. Compreendo que ele tivesse amor à sua imagem, tal como Narciso se apaixonou pelo seu próprio reflexo. Mas a escolha de cometer actos de maldade foi dele. Poderia ter escolhido conservar a sua juventude como o fez, sim.  Poderia, no entanto, também ter escolhido conservar um bom carácter.

A sociedade de Dorian Gray acreditava que a beleza estava associada à virtude humana, por isso, apesar dos boatos, muitos não acreditavam que Dorian era corrupto. Mas tal como hoje, as aparências enganam…

Veja o vídeo sobre o livro:

Editora: FV Éditions

ISBN: 978-2-36668-638-8

Tradução: Maria de Lurdes Sousa Ruivo

Imagem de destaque: Napoleon Sarony [Public domain], via Wikimedia Commons