O Talentoso Mr Ripley – Patricia Highsmith

O Talentoso Mr Ripley – o livro

Logo no início do livro da escritora norte-americana, Patricia Highsmith, deparamo-nos com Tom Ripley que anda fugido da polícia. Tom sente que está a ser seguido, e chega a pensar que é desta que o vão apanhar. mas afinal quem o segue é Herbert Greenleaf que procura Tom para ver se este consegue convencer o seu filho, Richard Greenleaf (conhecido por Dickie), a regressar de Itália para casa. Continuar a ler “O Talentoso Mr Ripley – Patricia Highsmith”

O Crime do Padre Amaro, Cenas da Vida Devota – Eça de Queirós

Imagem de destaque do livro O Crime do Padre Amaro

Ao lermos o Crime do padre Amaro dificilmente vamos simpatizar com algum dos seus personagens, mas isso não quer dizer que não dá para desfrutar desta leitura.

Eça de Queirós inaugura o realismo literário português, retratando a vida tal como ela é, sem floreados ou romantismo. E neste novo estilo Eça de Queirós vai tecendo uma crítica bem aguçada à religião católica no Portugal do seu tempo, e às pessoas que a representam.

Continuar a ler “O Crime do Padre Amaro, Cenas da Vida Devota – Eça de Queirós”

O Diário de Adão e Eva de Mark Twain

capa do livro O diário de Adão e Eva

Esta foi a minha estreia com o criador de Tom Sawyer, e não comecei nada mal. O diário de Adão e Eva é um belo exercício de recontagem de uma das mais famosas histórias da Bíblia.

Eva não vê o homem (Adão) como um ser muito inteligente, e por isso, de uma forma muito súbtil vai dando nomes às coisas que encontra e ensinando-lhos com “umas palavras de agradável surpresa, sem dar a entender que estava a falar de alto ou a ensinar um ignorante.” Continuar a ler “O Diário de Adão e Eva de Mark Twain”

Siddhartha, um poema indiano, de Hermann Hesse

Capa do livro Siddhartha de Hermann Hesse

Siddhartha de Hermann Hesse é inspirado na história do mestre religioso e fundador do budismo no século VI a.c.,  Siddhartha Gautama.

O Siddhartha Gautama histórico é criado isolado do mundo num palácio, e o seu pai tentou esconder-lhe sempre a realidade exterior e o sofrimento humano. Mas um dia Siddhartha sai do seu palácio e vê um idoso, depois um doente e finalmente a morte num corpo em decomposição. Perturbado com estas visões, Gautama parte do seu palácio como asceta, procurando respostas para o sofrimento humano. Continuar a ler “Siddhartha, um poema indiano, de Hermann Hesse”

O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde

fotografia de Oscar Wilde

Impressões de leitura do Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde

O que é mais valioso? A beleza ou as as virtudes?

Dorian Gray era um jovem muito belo, admirado por todos. Ao admirar a sua imagem no retrato pintado por Basil Hallward, lamenta profundamente que seja esse retrato a conservar a sua própria beleza com o passar do tempo. Ele declara que daria a sua própria alma em troca da sua eterna juventude.  Continuar a ler “O Retrato de Dorian Gray de Oscar Wilde”

1984 de George Orwell

imagem de destaque do livro 1984 de George Orwell

1984 de George Orwell

O universo deste livro é o mais opressor que li até hoje: Winston é observado em todos os lugares por onde passa, e em todos os momentos, com pequeníssimas brechas onde possa respirar. Todas as suas palavras, movimentos e até expressões faciais são observados pelo governo mais opressor, controlador e perverso de todos os tempos. Continuar a ler “1984 de George Orwell”

Peito grande, ancas largas – Mo Yan

Capa do livro Peito grande, ancas largas de Mo Yan

Peito grande, ancas largas, de Mo Yan

 

Quando li este livro, em Setembro de 2015, o meu gosto pela leitura encontrava-se adormecido há alguns anos por razões misteriosas.

A minha vontade de criar um blogue e partilhar algo com o mundo motivou-me a voltar a ler, e este foi um primeiro grande desafio desta nova fase de vida.

A forma crua com que Mo Yan  mostra a dura realidade rural da China desde o início do século XX, não me deixou indiferente… Continuar a ler “Peito grande, ancas largas – Mo Yan”